Saiba mais sobre ESQUIZOFRENIA – dia 24/05 – Porto Alegre

por: Marilice Costi

Familiares de pessoas com transtornos mentais também precisam de apoio, mas a luta dos familiares é escondida e só vem à tona como no caso da família do poeta Ferreira Gullar e tantos outros. Familiares estão inibidos ou inseguros, não falam dessa situação com facilidade, querem preservar o filho e a família do estigma social. Será que isso auxilia? Quem nos orienta a aprender lidar com as dificuldades que a doença traz? Alguém recebeu alguma informação nas escolas?

 

Evento importante no Parque Farroupilha em Porto Alegre/RS:

Data: 24 de maio de 2018
Horário: Dás 10h às 17h
Local: Parque Farroupilha (Redenção), próximo ao Monumento do Expedicionário - Porto Alegre - RS
Público: Geral

 

"Nesta quinta-feira, 24 de maio, colocaremos Porto Alegre no mapa mundial das cidades que participam do Dia de Conscientização à Esquizofrenia", informa Marilia Coelho Cruz, presidente da AGAFAPE, a Associação Gaúcha de Familiares de Pacientes Esquizofrênicos e demais doenças mentais. São voluntários que dão apoio a familiares e às pessoas diagnosticadas com doenças mentais.

Na capital gaúcha, as atividades para esta data internacional acontecem no Parque da Redenção junto ao Monumento do Expedicionário a partir das 10 h da manhã, estendendo-se pelo período da tarde.

“Iniciaremos com uma roda de conversa para dar maiores informações sobre esse assunto, pois existe muito preconceito sobre doenças mentais e, principalmente, esquizofrenia”, afirma Marília.

Ao meio-dia haverá um grande piquenique entre os participantes da AGAFAPE e pessoas interessadas neste trabalho, seguido por atividades vespertinas.

As oficinas da tarde reproduzem um pouco do que acontece semanalmente na sede da instituição: educação física, dança circular, arte e cultura.

Para Marília, além de prestar esclarecimentos sobre a doença, realizar essas atividades em um local público contribui para inclusão social de quem foi diagnosticado com esse tipo de doença: “são pessoas como tantas outras, que trabalham, que se socializam desde que tenham oportunidades.”