Cuidador é toda pessoa que cuida de alguém em uma instituição ou em uma família, em consultórios ou clínicas, em organizações privadas, públicas ou do terceiro setor. Pode ser de diversas profissões, utilizar variados recursos (das artes, da fala, da escrita, da escuta, da técnica, do ambiente, da natureza, da tecnologia), mas sempre com afeto. 

Iniciamos este projeto querendo cuidar de todos. Mas é preciso começar menor, por isso foi estabelecido o FOCO 1, o cuidado para:

  1. 1) Pessoas com transtornos globais do desenvolvimento: deficiências intelectuais, transtornos de comunicação, TEA, TDAH, transtornos específicos de aprendizagem, transtornos motores e outros transtornos do desenvolvimento)
  2. 2) Familiares cuidadores, que também necessitam de cuidados.

Na área do transtorno do desenvolvimento existem muitas comorbidades, entre elas: transtornos mentais, síndromes, câncer, dificuldades alimentares e outras. Nosso cuidado é também para essas situações.

Sobre CUIDADOS e FAMILIARES

Cuidar é mais que profissão, é um ato de amor, base da vida e da humanidade que é apoiada na solidariedade e na empatia. Para cuidar é preciso cuidar-se para poder doar-se a alguém. Somos, além de um cuidador, um ser social e nosso bem-estar se reflete em nosso entorno.

Familiar cuidador: É muito comum a quem cuida, dedicar-se além do seu limite, entrar em exaustão (burn-out) e adoecer


Conheça o perfil de nosso FAMILIAR NOSSA PERSONA

Nossa persona principal é a mãe (mas poderá ser o pai, irmãos, tios, avós, etc). É que na grande maioria das famílias, é ela quem assume a demanda maior e busca tudo que possa estimular, orientar, auxiliar na comunicação e no desenvolvimento de um filho: avaliação especializada, profissionais especialistas e com visão multidisciplinar, creche e escola inclusivas, espaços de lazer, brinquedos e jogos, equipamentos de segurança, suporte escolar, cuidadores e monitores, transporte acessível ou inclusivo, etc.

Ele poderá ter dificuldades de comunicação e de inserção social, de lazer integrativo, e de atividades adequadas à sua singularidade.

O familiar precisa de orientações jurídicas sobre direitos, curatela, interdição, segurança.

Mãe de costas carrega a filha.

 

Devido à falta de tempo para o autocuidado, exausto e sozinho, desanima e vai abrindo caminho para a depressão e para doenças crônicas. Sem apoio, como continuar cuidando?

É preciso facilitar sua vida. Esse cuidador desiste de seus sonhos, é muitas vezes abandonado. Acolhimento, apoios, amigos, lazer e vida social são fundamentais.

É importante apoiar o grupo familiar: pai, irmãos, avós. Todos necessitam e merecem ter qualidade de vida.

 (Se desejar, RETORNE AO SEU ANÚNCIO AQUI)

Cuidaqui MC e barra az coraçãoMarilice Costi – CEO Cuidaqui
Contato aqui.

Aqui nosso vídeo de divulgação da CUIDAQUI.com (menos de 2 min)