Aproveite o momento! Invente! CRIATIVIDADE é saúde mental!

por: Marilice Costi

Dar ao pente a função de não pentear. (Mário de Barros)

Transgredir no jeito de fazer, abrindo o olhar para novas ideias? As férias são um bom momento para isso. E se você tem um filho especial, aquele que lhe exige tempo e muitos cuidados, tente integrá-lo. Mas antes, cuide de si mesmo.

Existem muitas ideias sobre o processo criativo, como se só aos artistas, aos cientistas, aos inventores, lhes coubesse de direito. Inverdade! Quem não teve um professor que o reduziu ao nível do chão? Quem não teve alguém que debochou de algo que você criou? Além de se expor – e até pagar micos – lidar com sentimentos indesejados: inveja, raiva, desvalia… não é fácil. O que os outros dirão? Por isso que muitas pessoas afirmam que é preciso ter coragem para criar. Todos têm sensibilidade e querem reconhecimento. Sentir que valeu.

Muito escutei na minha vida: saco vazio não para em pé! Alimente seu coração com arte, tenha coragem de expressar o que você sente, sem receio e sem a opinião de outras pessoas. Vale o que você quer, o que você inventar. Mesmo que você não goste, aquilo é importante. Há coisas que não gostamos em nós e olhar para elas, faz bem. Ela saiu de você para que você se entenda a si mesmo penetre no processo e vá em frente!

O ser humano merece ser estimulado a criar. Colocar em funcionamento as áreas de criação do cérebro é muito bom. E vicia. A gente sente que é capaz de colocar um ovo em pé!

O artista não recebe inspiração divina e, como mágica, vem tudo pronto. Eles não fazem nada de novo, transformam, já disse Einstein. Mas é preciso ter repertório, conhecer o que já foi feito. Muitos pensam que criar é fazer um trabalho empacotadinho. É preciso vontade com direito a desagregar, desconstruir, desmembrar, para reconstituir. O exemplo dos artistas não pode ser menosprezado, pois eles são capazes de lutar pela sua criação mesmo que a sociedade os oprima. Não desistem, porque o processo criativo lhes é vital.

Saia do lugar comum. Escreva um poema. Que tal resgatar algo do passado? Uma foto, um desenho? Um diário? Mexer na argila, colorir as mãos? Até um problema pode ser inventado! E como foi solucionado?

O processo criativo é uma semente que tem que ser bem plantada. É possível participar de oficinas de criação? Conviver com gente que estimula e descobrir o próprio potencial.

Convide a família a pintar. Compre tinta, pincéis diferentes, metros de papel Kraft. Atire-se no chão, convide alguém para fazer seu contorno e pintem juntos. Fotografe, registre! Vocês criaram. Criar acompanhado tem um sabor especial e ensina romper bloqueios.

Faça sua própria receita e convide amigos para jantar. Saboreie. Se eles rirem, ria junto. Rir, está provado, faz viver mais. Divertir-se sem compromisso a não ser consigo mesmo e com sua verdade. Muito complicado? Mas não se permita sofrer, mexer no processo criativo das pessoas, só com sua licença! Oportunize momentos para expressar idéias – mesmo inúteis – serve de estímulo para o que poderá vir. E virá. É preciso um desejo interno de crescer e compartilhar.

A criação ocorrerá quando você encubar idéias (inspiração), gestar ao investigar o tema (repertório-base), questionar possibilidades (transpiração) e renovar a roupagem ou o conteúdo (o objeto!). É o que dizem os livros. Tente! Por dentro e por fora, dar à luz exige trabalho.

___________________________

Marilice Costi é arteterapeuta, escritora, arquiteta e artista plástica. Trabalha com Oficinas arteterapêuticas, de criatividade e de literatura desde 1995. Criou as capas da revista O Cuidador, da qual foi editora-chefe. CEO do cuidaqui.com. Dá palestras e ministra cursos. www.sanaarte.com.br