Autismo, vacinas e pesquisa: esclarecimentos importantes!

por: Marilice Costi

Recebi o vídeo abaixo e, ao assisti-lo, pensei que – a partir das informações da pesquisadora, a geneticista Wendy Chung, eu pudesse compreender mais o desenvolvimento de meu filho autista, hoje com 46 anos. Suas condições foram ampliadas através de muitos estímulos: a companhia do irmão gêmeo e da irmã menor, o atendimento a partir dos 3 anos na década de 70, o acompanhamento no Instituto Leo Kanner em Porto Alegre, seu cuidadoso alfabetizado aos 12 anos, o apoio em toda a sua vida.

Autismo Ted Pesquisadora Vacinas não causam autismo Autismo Ted Pesquisadora 1 cada 88 crianças tem autismo

Meu filho vem tomando decisões sobre sua vida, apesar do modo imaturo de se relacionar com as pessoas e a ansiedade que dispara com as mínimas coisas. Quando penso que ouvi de profissional de renome que ele iria retornar ao estado “psicótico” dos 6 anos se eu o retirasse do atendimento que fazia há quase 7 anos, eu disse: Se isso acontecer, é simples. É só trazê-lo para cá novamente. – Eu precisa arriscar.

Com sua saída descobrimos sua deficiência auditiva – que o prejudicava muito na escola. E ele cresceu. Passei a acreditar cada vez mais em seus sinais, em seus pedidos, em suas ansiedades, em seus medos.

Juntos passamos por muitos momentos sofridos. A certeza dele? A mãe sempre estaria ali para o auxiliar.

Confesso que, quando escrevi o livro “Como controlar os lobos?”, em 1997 (Leia aqui a opinião dos Nossos Leitores), eu queria mais que tudo denunciar o problema das drogas, das moradias e das administrações. Eu não encontrava um lugar onde ele fosse aceito, porque ele tinha transtornos mentais. Foi muito sofrido para todos nós.

O passar do tempo vai acomodando as coisas. Hoje nos deparamos com a necessidade de residenciais assistidos para pessoas como ele, para pessoas com transtornos mentais, lesões neurológicas, outras deficiências… O Estado não atende toda a população, focado que está nos que saíram de instituições ou vindos do Instituto Forense. Muitos pais ficam angustiados por se sentirem sem perspectiva. Onde nossos filhos viverão? Por isso criamos com familiares e amigos o Movimento Pró-Vida Assistida.

O vídeo TED  abaixo, que me estimulou a escrever esse texto, me esclareceu muitas coisas. Ali está meu filho. E o seu?

Veja o que ela disse sobre as vacinas e o resultado das últimas pesquisas. Com clareza e competência, a doutora Wendy Chung, Wendy Chung – que trabalha para caracterizar comportamento, estrutura cerebral e função em pessoas com variações genéticas que podem estar relacionadas ao autismo na Fundação Simons – fala de descobertas genéticas, questionamentos que seguem sobre Autismo.

Não perca!

_______________________________________________________________________________

NOTA: Abaixo, aguardamos suas opiniões nos Comentários, uma oportunidade para dialogarmos.

________________________________________________________________________________

imagens: printscreen do TED

corações

MARILICE COSTI é especialista em Arteterapia e Mestre em Arquitetura. Escritora, orienta e apoia pessoas com dificuldades, bloqueios de escrita. Editou 40 edições da revista O Cuidador  hoje on-line. Coordena o Movimento Pró-Vida Assistida. 

Entre suas publicações: Como controlar os lobos? Proteção para nossos filhos com problemas mentais, A fábula do cuidador, Gatilho nas Palavras, Ressurgimento veja aqui.

corações
 CUIDAQUI.com é NEGÓCIO DE IMPACTO SOCIAL!
coraçõesA plataforma de busca para quem cuida de autistas!