Alerta sobre Câncer! Hipocondria ou autocuidado?

por: Marilice Costi

Sintomas e o tipo de câncer podem estar relacionados. É o que diz uma pesquisa feita pela ONG Cancer Research UK. Se algum deles  for percebido, devemos acender o alerta e procurar o médico. Não dar importância a eles, pode atrasar o o tratamento para um câncer.

As pessoas pensam que esses sintomas não importam. Homens acreditam que procurar por médicos com frequência atesta sua fraqueza e dificuldades para suportar problemas. Preferem esperar que o sintoma passe, mesmo que isso seja uma mudança em sua rotina ao urinar, por exemplo. E dizem que é um desperdício de dinheiro e de tempo. Acreditam que podem se acostumar com o sintoma, passando a conviver com ele como se isso fosse normal. Mas não se deve agir assim. Isso prejudica o tratamento e se for considerado poderá salvar sua vida.

Saiba quais podem ser sintomas:

Tosse, rouquidão, cuspir sangue (câncer de pulmão)

Mudança na aparência de uma verruga (câncer de pele)

Ferida que não cicatriza (por estar ligada a diversas variações da doença)

Aparição de caroços pelo corpo (dependendo da região do corpo, pode indicar câncer)

Perda de peso inexplicada (pode estar ligada a diversas variações da doença)

Mudança na rotina intestinal (câncer no intestino)

Alteração no hábito de urinar (câncer na bexiga)

Dor inexplicável (pode indicar vários tipos de câncer)

Sangramento inexplicável (pode estar ligado a cânceres no intestino, na medula ou na vulva)

Dificuldade de engolir (câncer no esôfago)

MC Câncer - capa OC - colagem MCForam entrevistadas 1.700 pessoas com mais de 50 anos de idade. Nesse grupo, mais da metade (52%) afirmou ter tido ao menos um desses sintomas nos meses anteriores à doença. Das 50 pessoas que tiveram sintomas, 45% delas não procuraram ajuda médica.

Sintomas são alertas vermelhos, é o que afirma a pesquisadora Katrina Whitaker, da University College London. Mesmo que não sejam diagnosticados como câncer, os sintomas que informam riscos podem dar maiores chances de cura.

O médico Richard Roope afirma que cerca da metade dos pacientes diagnosticados com antecedência terão mais de dez anos de sobrevida.

Ser hipocondríaco ou cuidar-se?

Em 19 estudos científicos já existentes, 80% das pessoas que fazem exames após a manifestação de sintomas descobrem que não sofrem da doença, o que é um alívio para todos. Essa tranquilidade após os resultados é importante.

No entanto, nenhum diagnóstico é permanente. É bom ficar alerta e se algum dos sintomas acima aparecerem, não se deve ter vergonha de retornar ao consultório para tirar dúvidas.

O importante é não deixar que o câncer se espalhe, por isso não perca tempo e procure seu médico. Acredite! Descobertas nesse campo vêm ocorrendo com muita frequência.

Tenha sempre esperança e cerque-se de quem poderá lhe animar.

E quando alguém o chamar de “hipocondríaco”, não dê importância, mesmo que esta frase tenha vindo de um médico. Quem se cuida, sabe que consultar é importante e que, certamente, viverá mais e melhor se der importância aos seus sintomas.

Fonte: http://www.cancerresearchuk.org/about-cancer/cancer-symptoms

corações

MARILICE COSTI  é arteterapeuta (Especialista em Arteterapia – AATERGS 072/0808) e Mestre em Arquitetura (interiores para pessoas com dificuldades motoras e para seus familiares), é consultora, mãe cuidadora. É escritora e orienta e apoia pessoas com dificuldades e bloqueios de escrita. Editou da revista O Cuidador  hoje com suas 40 edições on-line, é CEO da CUIDAQUI.com e coordena o Movimento Pró-Vida Assistida. 

São suas publicações: Como controlar os lobos? Proteção para nossos filhos com problemas mentais, A fábula do cuidador, Gatilho nas Palavras, Ressurgimento entre outras veja aqui.

Imagem: Colagem de Marilice Costi, capa da edição 15 da revista O Cuidador.

Aguarde neste Blog, cuidados com Arteterapia.

Opine sobre essa matéria, abaixo. Ou contate por e-mail, informando suas dificuldades.